Educação para a Sustentabilidade

Destacado

Poluição. Desmatamento. Reciclagem. Preservação.

O que essas palavras significam para você?  Sustentabilidade? Reveja seus conceitos! 

Nós modificamos os nossos, ao entrarmos no projeto “Educação para a Sustentabilidade”.

Sustentabilidade engloba também os conceitos sociais e econômicos. Pequenas ações diárias podem fazer toda a diferença para o ambiente; apagar as luzes, fechar a torneira e reciclar, por exemplo. Mas, para fazer um mundo sustentável, é preciso ultrapassar o limite ambiental e atuar em outras áreas, como na econômica, consumindo conscientemente, e na social, diminuindo as desigualdades, só para citar dois exemplos.

Além disso, aprendemos que apenas saber não basta. É preciso agir. Demos nosso primeiro passo, criando esse blog. Prestigie!

 “Um mundo sustentável é ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável.”

 

EpS visita a Escola Amorim Lima

foto 2

Frase no refeitório da Amorim Lima.
Foto: Edson Grandisoli

No dia 10 de abril, professores do Projeto Educação para a Sustentabilidade tiveram o privilégio de visitar e conhecer um pouco do trabalho desenvolvido na EMEF Desembargador Amorim Lima, escola que já ganhou vários prêmios por suas inovações na área educacional. O projeto coletivo da escola contou com o apoio do professor José Pacheco e da psicóloga Rosely Sayão.

A visita pela escola foi guiada por Jéssica, Marianna e Luna, alunas do ciclo 1 da escola.

foto 4

Thaís Milani, Jéssica, Marianna e Luna em visita à Amorim Lima.
Foto: Edson Grandisoli

Na Amorim Lima não há aulas no formato tradicional. Os chamados “roteiros” acontecem em grandes salões, nos quais as mesas são organizadas sempre em grupos. Todas as atividades propostas nesses roteiros são realizadas em equipe (em grupos) que contam sempre com alunos de diferentes anos do ensino fundamental. Os estudantes se ajudam, formando uma verdadeira comunidade de aprendizagem, além de garantir uma excelente socialização e espírito de cooperação.

Um dia por semana, os alunos se reúnem com seus tutores em um encontro mais formal, a fim de verificar os progressos e as dúvidas que surgiram pelo caminho, estabelcendo um diálogo aberto e democrático no qual todos têm a palavra.

foto 1

Salão de roteiros.
Foto: Edson Grandisoli

Essa visita é uma iniciativa da equipe do Educação para a Sustentabilidade que permite que seus professores vivenciem novos modelos de Educação e estabeleçam novas parcerias e contatos.

 O próximo passo será organizar uma visita dos alunos do projeto EpS à EMEF Amorim Lima. Mas isso é assunto para outro post…

foto 3

Thaís e Jéssica em visita à biblioteca.
Foto: Edson Grandisoli

 

 

 

Sustentabilidade e Psicodrama

  Por Rosiani Baron Telles

Preservação, qualidade de vida e igualdade, o que significam essas palavras? Por que várias vezes elas aparecem quando se discute o tema Sustentabilidade? Por que é difícil explicá-las? É possível transformá-las em ações?

Essas foram algumas perguntas que surgiram no grupo de alunos e professores do Projeto  Educação para a Sustentabilidade na aula do dia 27 de março.

Para que discutíssemos seus significados e pudéssemos refletir sobre elas, foi proposta uma atividade pouco vivenciada dentro dos colégios: o psicodrama.

foto 3

Psicodrama e Sustentabilidade.
Foto: Edson Grandisoli

O psicodrama, criado por Jacob Levy Moreno, é uma metodologia que traz para o palco uma cena que está relacionada a um tema. Dessa forma, as pessoas não ficam apenas na fala, elas partem para a ação, onde o agir e o sentir são tão importantes quanto o falar.

Os alunos se dividiram em três grupos, e cada grupo vivenciou uma cena que estava relacionada com as palavras preservação, qualidade de vida e igualdade. O final das cenas houve o compartilhamento dos nossos sentimentos e opiniões.

foto 2

Profa. Thaís Milani em ação durante o psicodrama.
Foto: Edson Grandisoli

Concluímos que existem definições distintas para cada uma dessas palavras, mas que antes de definí-las é necessário repensar os seus significados e entender porque cada uma delas se encaixa no tema Sustentabilidade. Os significados têm que fazer sentido para quem fala, pois só assim é possível transformar a fala em ação.

foto 1

Psicodrama e o conceito de sustentabilidade.
Foto: Edson Grandisoli

Em busca da sustentabilidade

A Feira de Ciências e Tecnologia do Bandeirantes, um dos principais eventos no calendário da escola, terá, em 2014, “Empreendedorismo e Ciência” como tema.

Em 2013, o grupo de alunos do Educação para a Sustentabilidade realizou uma pesquisa sobre os principais materiais utilizados e descartados durante os preparativos e realização da Feira, bem como o meio de transporte preferencial que alunos, professores, funcionários e pais utilizaram para chegar à escola no dia do evento.

Equipe em ação durante a Feira 2013.

Equipe do EpS em ação durante a Feira 2013.
foto: Edson Grandisoli

A pesquisa gerou um relatório que foi entregue a todos os coordenadores da Feira desse ano, com o objetivo de estimular a redução dos materiais utilizados e descartados.

A iniciativa do Educação para a Sustentabilidade já gerou bons frutos.

Em 2014:

1. Os certificados de participação serão todos entregues em versão digital;

2. não será permitida a distribuição de alimentos pelos expositores, a não ser que tenham estrita relação com o tema do trabalho e

3.a elaboração de panfletos será desestimulada e/ou controlada.

Com isso, certamente reduziremos a quantidade de resíduos produzidos antes e durante a Feira.

Agora, resta à equipe pensar em formas criativas para estimular as caronas e uso do transporte público.

Parabéns à Equipe do Educação para a Sustentabilidade que está ajudando a construir uma escola mais sustentável.

Explorando o conceito de sustentabilidade

No dia 13 de março, o projeto Educação para a Sustentabilidade começou a explorar o conceito de sustentabilidade, suas significações, complexidade, importância e aplicações no dia a dia de todos.

 

foto 1

Diálogo com a profa. Thaís Milani.
foto: Edson Grandisoli

 

A aula expositiva, ministrada pelo professor Edson Grandisoli, focou em desafios concretos da sustentabilidade no mundo contemporâneo, desafiando os participantes a discutir e propôr soluções que sejam viáveis dos pontos de vista econômico, ambiental, social e cultural, mostrando a complexidade do pensamento por trás de iniciativas que visam a sustentabilidade.

Em um segundo momento, os participantes colocaram a mão na massa e criaram um quadro, a partir do conceito de sustentabilidade forte, das principais características e qualidades que uma sociedade sustentável deve possuir.

 

foto 2

Confecção do esquema “Meu mundo sustentável”
foto: Edson Grandisoli

 

O exercício baseado em uma visão utópica de mundo foi importante para trazer novas ideias, reconhecer desafios e pensar em soluções viáveis.

 

foto 3

Esquema “Meu mundo sustentável” quase pronto.
foto: Edson Grandisoli

 

Esse é só o primeiro passo de uma longa jornada.

Boa viagem a todos e todas!!!

 

 

 

Sustentabilidade inicia suas atividades

No dia 20 de fevereiro, o Projeto Educação para a Sustentabilidade deu início às suas atividades. O grupo de 2014 conta, até o momento, com 14 participantes que, durante a aula inaugural, deixaram claro que querem botar a mão na massa e fazer a diferença na escola.

foto 1

Participantes do EpS 2014 em ação.
Foto: Edson Grandisoli

O Educação para a Sustentabilidade já está no seu 5o ano, e o desafio de 2014 é criar um plano para melhor gerir os resíduos sólidos produzidos por toda a escola. É um desafio importante e contamos com toda a comunidade para melhorar ainda mais nossa escola.

No primeiro encontro, os participantes falaram sobre suas expectativas e preencheram a primeira avaliação do ano, a qual será repetida em novembro, permitindo avaliar os progressos com relação ao conceito de sustentabilidade e suas aplicações práticas.

foto 5

Preenchimento da avaliação pré-curso.
Foto: Edson Grandisoli

Bem vindos ao projeto!!!

 

Sustentabilidade em alta

No dia 13 de fevereiro, o Projeto Educação para a Sustentabilidade do Band deu início às suas atividades.

O convite para a participação no projeto em 2014 foi feito a todas as turmas do 1o e 2os anos do Ensino Médio e a palestra inicial contou com cerca de 30 estudantes interessados em fazer a diferença.

foto 1

Futuros participantes do projeto Educação para a Sustentabilidade.
Foto: Edson Grandisoli

As professoras Cristiana Mattos, Rosiani Telles, Thaís Milani e o professor Edson Grandisoli receberam os interessados na sala E1 para um bate papo sobre o projeto e sobre sustentabilidade.

foto 3

Palestra de abertura com Cristiana Mattos, Rosiani Telles e Thaís Milani.
Foto: Edson Grandisoli

Alunas do ano passado também contribuíram e deram depoimentos sobre o projeto.

foto 2

Alunas de 2013 falam sobre suas experiências.
foto: Edson Grandisoli

As inscrições para o projeto ainda estão abertas.

Os interessados devem mandar um e-mail para sustentabilidade@colband.com.br

As atividades se iniciam no dia 20 de fevereiro, na sala E1, das 13:50 às 15:30h.

Sejam todos bem vindos.

Diversidade Quilombola

Entre os dias 11 e 13 de outubro, o grupo de alunos e professores do Educação para a Sustentabilidade, acompanhados pela professora de Geografia Leda Leonardo, tiveram o privilégio de visitar duas comunidades Quilombolas no Vale do Ribeira: Pedro Cubas e Ivaporunduva.

O interesse pelos Quilombos surgiu em uma visita ao ISA no primeiro semestre, quando o pesquisador Nilto Tatto falou com paixão do seu trabalho de anos na região e nos apresentou o Circuito Quilombola (http://www.circuitoquilombola.org.br/).

Cruzando o Rio Ribeira de Iguape em direção ao Quilombo Pedro Cubas. Foto: Edson Grandisoli

Cruzando o Rio Ribeira de Iguape em direção ao Quilombo Pedro Cubas.
Foto: Edson Grandisoli

Alunos e professores do Projeto EpS tiveram a chance de entrevistar os moradores dos Quilombos e levantar informações sobre aspectos econômicos, ambientais e, em especial, sociais dessas comunidades.

Foi, sem dúvida, uma grande experiência de vida para todos.

Abaixo, compartilhamos o depoimento de duas participantes da viagem, Letícia Piza e Ana Paula Gushken.

Essa viagem me proporcionou uma visão mais ampla do que é viver à margem da sociedade. Apesar da tristeza que me deu ao ver a precariedade com que os quilombolas, principalmente do quilombo Pedro Cubas, vivem em relação à educação, saúde e saneamento básico, eu me alegrei com os rostos sorridentes das crianças que, com a nossa chegada, quiseram logo mostrar suas brincadeiras e nos acompanhar na visita.Pude “aprender” a jogar taco e me diverti como a muito tempo não o fazia. Aprendi com elas que não importa onde você mora, mas se tiver bons amigos e uma bola de futebol, você pode ter a felicidade que nenhum dinheiro compra.
Com a missão de descobrir, em dupla, o que seria uma sociedade sustentável em um quilombo, descobri, como dito acima que o futebol os une, mas no quilombo de Ivaporunduva não é apenas futebol, mas sim, a Copa Quilombola realizada entre os Quilombos. Além disso, esse quilombo, mais organizado, tem a segurança/policiamento realizado por eles mesmos e a consciência de sociedade e grupo está sempre presente“.

Letícia Piza

Na casa do Seu joaquim, 92 anos, morador mais antigo do Quilombo Pedro Cubas. Foto: Edson Grandisoli

Na casa do Seu joaquim, 92 anos, morador mais antigo do Quilombo Pedro Cubas.
Foto: Edson Grandisoli

A viagem para o Quilombo foi para mim uma grande experiência. Primeiro porque eu nunca tinha ido a um Quilombo antes e foi uma das poucas viagens em que pude ir, conversar com as pessoas da própria região e conhecer tão de perto a sua realidade. Segundo, porque além de conhecermos a história dessas comunidades, de onde vieram, como sobreviviam, quem os ajudou, também tivemos a oportunidade de encontrar pontos ligados a sustentabilidade e relacioná-los com todos os seus lados: econômico, ambiental e social. Um exemplo de sustentabilidade ambiental são os bananais que, sendo orgânicos, não contém agrotóxicos que contaminem o solo, fazendo com que a terra utilizada hoje possa ser usada por muito mais tempo, por outras gerações. Já pelo lado socioeconômico há o modo como todos eles pensam em grupo também se preocupando com o futuro, como por exemplo a condição de que os jovens após saírem para estudar fora terem que voltar ao Quilombo para ajudar no desenvolvimento deste, o modo como todo o dinheiro que entra, em turismo por exemplo, é distribuído para todos da comunidade, etc. Enfim, apesar de termos passado apenas dois dias, nos divertimos, andamos e aprendemos muito mais do que eu esperava“.

Ana Paula Gushken

 Ano que vem, tem mais!!!