Papo sobre arquitetura sustentável

por Gabriela Balbino (1B3) e Letícia Piza (2H2)

No dia 22/08, de metrô e bicicleta, chegamos à região central de São Paulo, bem ao lado do Minhocão.

Lá, tivemos a chance de visitar o privilegiado apartamento do arquiteto Alan Borger, que hoje atua na empresa Fábrica de Projetos.

Privilegiado por várias razões.

Primeiro porque é a cobertura do prédio, portanto, o ex-aluno da Escola da Cidade teve a possibilidade de aproveitar a luz do dia através do teto de vidro nos 20 m2 da antiga varanda, agora parte da sala, e da extensa janela que ocupa uma parede inteira do apartamento. Segundo porque uma janela tão grande possibilitou a Alan olhar todo o dia para o coração da nossa cidade e refletir sobre a aparência dos prédios, do Minhocão, etc. e ter a motivação para continuar na carreira e assim, tentar mudar a nossa cidade para uma mais bonita e melhor estruturada.

Arquitetura sustentável na prática.

Arquitetura sustentável na prática.

Dentro de sua nova casa, a opção foi utilizar o mínimo de material, além de aproveitar ao máximo a luz natural e optar por lâmpadas de LED, muito mais econômicas e duráveis. O design minimalista conta somente com o necessário para um homem solteiro viver com conforto o que, com a ajuda da ausência de paredes separando os cômodos (na verdade só uma mantendo a privacidade do quarto), contribui para que o apartamento pareça muito maior do que realmente é.

Grupo do EpS no apartamento do arquiteto Alan Borger.

Grupo do EpS no apartamento do arquiteto Alan Borger.

Nessa visita aprendemos que arquitetura é uma grande interação entre o ser humano e tudo o que o envolve, desde os fenômenos naturais até as ciências humanas e que, além disso, não podemos nos esconder dentro de uma ‘bolha’, mas sim viver a cidade, aprender com ela e mudar o que achamos estar errado.