Reflexão sobre mobilidade

As alunas Ana Beatriz e Ana Amélia (2B1 e 2B2) redigiram uma breve e necessária reflexão sobre mobilidade após a realização do debate organizado pelo Educação para a Sustentabilidade em parceria com a professora Márcia Abdo e convidados.

Parabéns Anas. Só entendendo as questões a fundo seremos capazes de propôr soluções viáveis e democráticas.

IMG_1935

Debate sobre mobilidade. Foto: Thais Milani.

Sobre mobilidade e cidades.

É comum associar cidade a carros, em geral, quanto maior e mais desenvolvida a cidade, maior o número de carros nas ruas e, consequentemente, maiores são as condições para os motoristas. Historicamente, as cidades começaram com pequenos centros urbanos que melhorava e facilitava a mobilidade das pessoas. No entanto, principalmente,  a partir da segunda revolução industrial, quando começam a fabricação de automóveis em massa, as cidades mudaram seu foco para a mobilidade dessas máquinas e começaram a ter as grandes avenidas, ruas mais bem elaboradas, faróis e estacionamentos. Décadas após o começo da fabricação dos carros, a preocupação das maiores cidades é quanto espaço ainda há para suportar o número crescente de automóveis. Nova York foi uma das pioneiras a pensar sobre a melhoria mobilidade urbana focando nos habitantes, tudo começou com ciclovias que abriram espaço para transformar a Times Square, uma das maiores avenidas e pontos turísticos dos Estados Unidos, em um local de lazer com uma estrutura feita para pessoas e não maquinas. O exemplo vem sendo seguido por outras cidades ao redor do mundo; em São Paulo, por exemplo, cresce o estímulo a formas de transporte alternativas, como a bicicleta e o transporte público. Além disso, abre a Avenida Paulista, uma  mais importantes da cidade, para o uso de lazer da população. Essas transformações mostram como o ideal de cidade vem mudando, prezando mais a qualidade de vida e a relação entre as pessoas que podem tornar a sociedade mais empática. A pergunta que fica é: quanto tempo resta para o ideal de cidade que temos hoje, cheia de carros e pouco espaço?

Ana Beatriz 2B1 e Ana Amélia 2B2

 

Sustentabilidade no Band DivulgAÇÃO

No dia 11 de junho, aconteceu o primeiro Band DivulgAÇÃO, evento que reuniu e divulgou iniciativas desenvolvidas pela comunidade do Band e por Organizações Sociais convidadas.

O Projeto Educação para a Sustentabilidade estava lá com seus participantes de 2016.

IMG_1940

Participantes de 2016 falando do projeto durante o Band DivulgAÇÃO

Além de apresentarem o projeto e seus resultados para a comunidade, cada um que passou por lá teve a chance de refletir e escrever sobre quais gentilezas gostaria de praticar mais no seu dia a dia. Esses depoimentos serão enviados daqui 3 a 4 meses para a casa de cada um para que se lembrem do dia e do combinado consigo mesmo.

Parabéns a todos que participaram e aos organizadores do evento.

Parceria com a Fundação Tide Setubal

No último encontro (dia 02/06), os participantes do Educação para a Sustentabilidade receberam a visita de 3 representantes da Fundação Tide Setubal (Bel, Vivi e Simone).

Elas vieram contar um pouco sobre os projetos sociais desenvolvidos pela Fundação e, em especial, fazer um convite aos alunos.

IMG_1900No final de agosto, durante os eventos da Virada Sustentável, professsores e alunos do EpS participaram de atividades em uma escola pública situada na perifieria de São Paulo, mais especificamente em São Miguel Paulista, em parceria com a Fundação.

Os estudantes terão a chance de desenvolver atividades em conjunto com 50 estudantes da região, visando a criação de soluções inovadoras para problemas da comunidade.

Será uma experiência memorável para todos e agradecemos muito a parceria e presença da Bel, Vivi e Simone.

IMG_1895

Cada vez menos plástico

Os participantes do Educação para a Sustentabilidade criaram e aplicaram um questionário aos professores sobre o desejo de passar a utilizar canecas na sala dos professores e reduzir ainda mais o consumo de plástico na escola.

Vale lembrar que o projeto já realizou uma intensa companha em 2011/2012, levando à retirada dos copos pláticos destinados aos alunos e laboratórios, substituindo-os por squeezes.

Veja o resultado da pesquisa desse ano.

Untitled-1

O próximo passo será o estudo sobre o melhor local para a construção de um canecário e, a partir desse momento, a utilização dos copinhos será predominantemente realizada pelos visitantes do colégio.

Faça parte dessa mudança você também e use sempre sua garrafinha ou caneca (em todos os lugares).