Visita à Cooperativa Cooper Viva Bem

No dia 21 de agosto, a equipe do projeto Educação para a Sustentabilidade teve o prazer de visitar a Cooper Viva Bem, uma das cooperativas que tem recebido os resíduos do colégio desde que o novo sistema de gestão foi implantado no início desse semestre.

Tivemos a chance de conhecer como é o trabalho e a realidade de cooperados que trabalham triando o material que é destinado para a reciclagem.

A alegria e envolvimento de todos os cooperados com esse trabalho nos mostrou a importância de separarmos de maneira correta nossos resíduos.

grupo

Educação para a Sustentabilidade na Cooperativa Cooper Viva Bem.

A visita é palco da produção de um filme sobre a importância do trabalho das cooperativas de coleta e triagem que será passado para todos os professores, alunos e funcionários do Band. Além disso, publicaremos textos dos alunos que participaram da visita.

Por isso, mais que nunca, ACERTE NA LATA.

 

 

EpS visita a Escola Amorim Lima

foto 2

Frase no refeitório da Amorim Lima.
Foto: Edson Grandisoli

No dia 10 de abril, professores do Projeto Educação para a Sustentabilidade tiveram o privilégio de visitar e conhecer um pouco do trabalho desenvolvido na EMEF Desembargador Amorim Lima, escola que já ganhou vários prêmios por suas inovações na área educacional. O projeto coletivo da escola contou com o apoio do professor José Pacheco e da psicóloga Rosely Sayão.

A visita pela escola foi guiada por Jéssica, Marianna e Luna, alunas do ciclo 1 da escola.

foto 4

Thaís Milani, Jéssica, Marianna e Luna em visita à Amorim Lima.
Foto: Edson Grandisoli

Na Amorim Lima não há aulas no formato tradicional. Os chamados “roteiros” acontecem em grandes salões, nos quais as mesas são organizadas sempre em grupos. Todas as atividades propostas nesses roteiros são realizadas em equipe (em grupos) que contam sempre com alunos de diferentes anos do ensino fundamental. Os estudantes se ajudam, formando uma verdadeira comunidade de aprendizagem, além de garantir uma excelente socialização e espírito de cooperação.

Um dia por semana, os alunos se reúnem com seus tutores em um encontro mais formal, a fim de verificar os progressos e as dúvidas que surgiram pelo caminho, estabelcendo um diálogo aberto e democrático no qual todos têm a palavra.

foto 1

Salão de roteiros.
Foto: Edson Grandisoli

Essa visita é uma iniciativa da equipe do Educação para a Sustentabilidade que permite que seus professores vivenciem novos modelos de Educação e estabeleçam novas parcerias e contatos.

 O próximo passo será organizar uma visita dos alunos do projeto EpS à EMEF Amorim Lima. Mas isso é assunto para outro post…

foto 3

Thaís e Jéssica em visita à biblioteca.
Foto: Edson Grandisoli

 

 

 

Explorando o conceito de sustentabilidade

No dia 13 de março, o projeto Educação para a Sustentabilidade começou a explorar o conceito de sustentabilidade, suas significações, complexidade, importância e aplicações no dia a dia de todos.

 

foto 1

Diálogo com a profa. Thaís Milani.
foto: Edson Grandisoli

 

A aula expositiva, ministrada pelo professor Edson Grandisoli, focou em desafios concretos da sustentabilidade no mundo contemporâneo, desafiando os participantes a discutir e propôr soluções que sejam viáveis dos pontos de vista econômico, ambiental, social e cultural, mostrando a complexidade do pensamento por trás de iniciativas que visam a sustentabilidade.

Em um segundo momento, os participantes colocaram a mão na massa e criaram um quadro, a partir do conceito de sustentabilidade forte, das principais características e qualidades que uma sociedade sustentável deve possuir.

 

foto 2

Confecção do esquema “Meu mundo sustentável”
foto: Edson Grandisoli

 

O exercício baseado em uma visão utópica de mundo foi importante para trazer novas ideias, reconhecer desafios e pensar em soluções viáveis.

 

foto 3

Esquema “Meu mundo sustentável” quase pronto.
foto: Edson Grandisoli

 

Esse é só o primeiro passo de uma longa jornada.

Boa viagem a todos e todas!!!

 

 

 

É dia de Feira!

No último dia 19 de outubro de 2013, aconteceu a VII Feira de Ciências e Tecnologia do Colégio Bandeirantes. Dia de Feira de Ciências é também dia de muito trabalho para a equipe do Projeto Educação e Sustentabilidade. Nesse ano, os alunos tiveram a chance de entrevistar os grupos expositores, professores, funcionários e visitantes da Feira.

iPads e Google Forms foram as ferramentas utilizadas para a realização da pesquisa.

iPads e Google Forms foram as ferramentas utilizadas para a realização da pesquisa.

No total, todos os 54 grupos participantes foram entrevistados com relação ao uso e descarte de materiais utilizados no desenvolvimento dos projetos. Funcionários, professores e visitantes também foram questionados sobre o meio de transporte utilizado para chegar à feira no sábado. No total, foram 250 entrevistas realizadas. Toda essa informação será reunida em um dossiê que será elaborado pelos alunos e professores do projeto, o qual será enviado à direção do colégio e à coordenação da Feira de Ciências e Tecnologia.

Equipe em ação durante a Feira 2013.

Equipe em ação durante a Feira 2013.

O objetivo é construirmos juntos uma Feira mais sustentável em 2014 no que se refere ao uso e destino dos materiais utilizados, bem como o estímulo por meio de campanhas de comunicação ao uso do transporte público, bicicleta e caronas. Parabéns aos alunos pelo esforço e envolvimento.

Sustentabilidade apresenta-se no SINPRO

Uma das maiores recompensas no desenvolvimento de um projeto é ter seu mérito reconhecido por entidades de respeito. O projeto Educação para Sustentabilidade, desenvolvido no 1.o e 2.o anos do Ensino Médio, teve a oportunidade de apresentar um pouco de sua metodologia e dos resultados alcançados nos últimos 4 anos no SINPRO, Sindicato dos Professores de São Paulo, durante o evento Virada Sustentável.

Prof. Edson

Prof. Edson

“Temos desenvolvido um modo bastante particular de trabalhar com os alunos envolvidos, mesclando a teoria complexa por trás do conceito de sustentabilidade a ações práticas dentro do ambiente escolar, ou seja, estamos utilizando a escola como um verdadeiro espaço democrático de criação e aprendizado”, explica o professor Edson Grandisoli, responsável pelo projeto. A oportunidade de apresentação do projeto no SINPRO foi viabilizada mediante um resumo enviado previamente ao sindicato, que o escolheu como um dos 3 projetos a serem apresentados naquele dia. “Procuramos levar nosso projeto, sempre que possível, para ser apresentado fora da escola em eventos diferenciados, para que possam nos ajudar a melhorar ainda mais”, comentou.

O 1.o semestre do projeto é sempre voltado à formação teórica dos participantes. Além de aulas, debates e palestras, são realizadas diversas visitas a instituições e a profissionais renomados que atuam hoje na área da sustentabilidade como arquitetos, engenheiros, economistas, entre outros, mostrando novas possibilidades de atuação futura de nossos alunos em suas respectivas áreas.
No 2.o semestre, os alunos são estimulados a dedicar-se à prática, ou seja, a criarem e executam intervenções na escola, a fim de torná-la mais sustentável. “Nesse ano, nosso tema gerador é energia. Aguardem novidades nesse sentido”, promete Edson.

Alunos do EpS visitam o ISA (Instituto Socioambiental)

Como parte importante da formação dos estudantes do projeto Educação para a Sustentabilidade, realizamos uma visita ao Instituto Socioambiental. Os principais pontos discutidos nessa visita estão expostos no texto da aluna Giovanna Frate (2H2).

Nilto Tatto (à esquerda) recebe alunos do EpS no Instituto Socioambeintal.

Nilto Tatto (à esquerda) recebe alunos do EpS no Instituto Socioambiental. Foto: Edson Grandisoli

A visita ao ISA (Instituto Socioambiental) foi muito enriquecedora e proveitosa para o grupo de alunos e professores do Projeto Educação para a Sustentabilidade.

Através dessa experiência pudemos enxergar de uma forma mais abrangente como a sustentabilidade é aplicada no meio social e como é desenvolvida no Brasil, especialmente quando referente às pequenas comunidades, até então, muito pouco mencionadas nos meios midiáticos ou inseridas na economia e no cenário urbano e caótico, no qual vivemos atualmente.

Estas comunidades, assistidas pelo ISA, são constituídas principalmente por indígenas, pequenos produtores agrícolas e quilombolas que, num passado não muito distante, contribuíram de forma expressiva ao nosso patrimônio cultural e histórico, e mesmo assim, são muito pouco valorizados pelo governo ou reconhecidos pelo próprio povo brasileiro. Afinal, muitos até hoje nem fazem ideia de que ainda existem muitas comunidades quilombolas espalhadas pelo país.

Apesar dessas comunidades terem conquistado muitos direitos com o passar do tempo, muitos deles ainda não são respeitados. É exatamente aí que o ISA atua.
O que me chamou mais atenção nessa visita (10/05) foi o fato de como a situação dessas comunidades é delicada e, ao mesmo tempo, deixada de lado por nós, que estamos distantes dessa realidade, e pelos governantes do nosso país. Outro fato relevante discutido com o coordenador do projeto quilombola, Sr. Nilto Tatto, é como os interesses econômicos de uma minoria estão tão acima dos próprios direitos dessas comunidades, que precisam ser notadas e ouvidas.
Por meio desse encontro, também pudemos entender melhor, no âmbito social, o que de fato está acontecendo na Amazônia em relação aos movimentos de resistência à instalação da usina hidrelétrica de Belo Monte.

Mesmo com tantos problemas apontados, foram também mencionadas possíveis soluções, como por exemplo, a verba destinada à merenda das escolas públicas que poderia ser parcialmente revertida em investimentos no micronegócio agrário dessas comunidades, trazendo benefícios tanto para os pequenos agricultores como para as instituições de ensino que estariam recebendo alimentos mais sustentáveis e com menos produtos químicos.
Enfim, como todos os outros encontros que o nosso projeto realiza, a visita ao Instituto Socioambiental foi muito produtiva, e como sempre, nos fez pensar ainda mais sobre a complexidade da aplicação da sustentabilidade nos dias de hoje, e dessa vez, de um ponto de vista mais humano, o social.

 

Educação para a Sustentabilidade

Destacado

Poluição. Desmatamento. Reciclagem. Preservação.

O que essas palavras significam para você?  Sustentabilidade? Reveja seus conceitos!

Nós modificamos os nossos, ao entrarmos no projeto “Educação para a Sustentabilidade”.

Sustentabilidade engloba também os conceitos sociais e econômicos. Pequenas ações diárias podem fazer toda a diferença para o ambiente; apagar as luzes, fechar a torneira e reciclar, por exemplo. Mas, para fazer um mundo sustentável, é preciso ultrapassar o limite ambiental e atuar em outras áreas, como na econômica, consumindo conscientemente, e na social, diminuindo as desigualdades, só para citar dois exemplos.

Além disso, aprendemos que apenas saber não basta. É preciso agir. Demos nosso primeiro passo, criando esse blog. Prestigie!

 “Um mundo sustentável é ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável.”

 [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=3c88_Z0FF4k]

A Criação da Logomarca

Será que você viu a nossa logomarca? Sim, nós que a elaboramos! Dentre diversas tarefas que foram distribuídas ao grupo, escolhemos essa por gostarmos de arte. Para isso, tivemos de recorrer-nos a diversas referências, como a mitologia e outras logomarcas, e pudemos definir os rumos para a criação do logo com a ajuda do Prof. Edson.

Quisemos fazer um logotipo simples, jovem e bem característico do nosso grupo de sustentabilidade, resumindo graficamente as nossas ideias, objetivos e valores. Com um pouco de imaginação, poderá visualizar um homem abraçando o mundo, como o Atlas que carregava a Terra. Para quem não conhece o Atlas, dê uma olhadinha no site (http://pt.wikipedia.org/wiki/Atlas_(mitologia)).

Também tivemos que buscar vários logotipos de outras empresas para ter uma base. O Prof. Edson, que além de professor-membro do grupo Projeto Sustentabilidade, é também fotógrafo de Natureza, mostrou-nos seu cartão com o logotipo criado por ele.

Começamos a rascunhar. Tivemos várias ideias, até que uma foi aceita por todo o grupo e demos o toque final colorindo. Foi assim que chegamos a esse resultado:

1)  um homem que carregava o mundo nas costas;

criacao_logo-1

2) um homem que carrega o símbolo da reciclagem ( as três flechas com diferentes cores )

criacao_logo-2

3) um homem que representa o tronco de uma árvore abraçando três gomos coloridos- o gomo azul, representando a sociedade, o laranja, representando a economia, e o verde, que representa o ambiente.

criacao_logo-3