EpS visita a Escola Amorim Lima

foto 2

Frase no refeitório da Amorim Lima.
Foto: Edson Grandisoli

No dia 10 de abril, professores do Projeto Educação para a Sustentabilidade tiveram o privilégio de visitar e conhecer um pouco do trabalho desenvolvido na EMEF Desembargador Amorim Lima, escola que já ganhou vários prêmios por suas inovações na área educacional. O projeto coletivo da escola contou com o apoio do professor José Pacheco e da psicóloga Rosely Sayão.

A visita pela escola foi guiada por Jéssica, Marianna e Luna, alunas do ciclo 1 da escola.

foto 4

Thaís Milani, Jéssica, Marianna e Luna em visita à Amorim Lima.
Foto: Edson Grandisoli

Na Amorim Lima não há aulas no formato tradicional. Os chamados “roteiros” acontecem em grandes salões, nos quais as mesas são organizadas sempre em grupos. Todas as atividades propostas nesses roteiros são realizadas em equipe (em grupos) que contam sempre com alunos de diferentes anos do ensino fundamental. Os estudantes se ajudam, formando uma verdadeira comunidade de aprendizagem, além de garantir uma excelente socialização e espírito de cooperação.

Um dia por semana, os alunos se reúnem com seus tutores em um encontro mais formal, a fim de verificar os progressos e as dúvidas que surgiram pelo caminho, estabelcendo um diálogo aberto e democrático no qual todos têm a palavra.

foto 1

Salão de roteiros.
Foto: Edson Grandisoli

Essa visita é uma iniciativa da equipe do Educação para a Sustentabilidade que permite que seus professores vivenciem novos modelos de Educação e estabeleçam novas parcerias e contatos.

 O próximo passo será organizar uma visita dos alunos do projeto EpS à EMEF Amorim Lima. Mas isso é assunto para outro post…

foto 3

Thaís e Jéssica em visita à biblioteca.
Foto: Edson Grandisoli

 

 

 

Penso, logo coexisto*

 Durante as reuniões do Grupo “Educação para a Sustentabilidade”, descobrimos que o desenvolvimento sustentável não se baseia apenas na questão ambiental e sim num tripé composto por sociedade, economia e ambiente. A fim de aprender mais sobre como os aspectos sociais estão relacionados a esse tema, foi proposto que visitássemos o Instituto Socioambiental (ISA).

 O Instituto Socioambiental é uma ONG brasileira, criada em 1994 em meio a uma atmosfera conturbada de movimentos ambientalistas e sociais. Seu principal objetivo é defender os direitos sociais e ambientais de comunidades tradicionais – quilombolas, indígenas, ribeirinhas, entre outras, reintegrando-as à sociedade atual sem interferir em suas identidades culturais e religiosas.

 Um dos principais projetos do ISA consiste no mapeamento dessas comunidades, classificando-as por suas características culturais e auxiliando-as na obtenção de renda.

 Entender como a ONG trabalha ajudou-nos a perceber como sociedade e ambiente estão realmente ligados. As comunidades tradicionais nos mostram que é impossível separar ser humano e meio, pois um influencia o outro constantemente. Por exemplo, nas comunidades quilombolas da região do Vale do Ribeira, no sul do estado de São Paulo, a agricultura e o artesanato são as principais fontes de renda, gerando produtos que são comercializados em supermercados próximos de nossas casas. Por meio de seu trabalho, o ISA garante a permanência das comunidades em suas terras de origem, que assim se mantêm preservadas.

Foi interessante descobrir uma visão de mundo diferente da nossa: mais sustentável e menos egoísta. Aprendemos que colaborar, divulgar, escolher e apoiar podem fazer uma grande diferença no meio global e não somente em nossas vidas. As comunidades tradicionais provam que é possível viver de modo sustentável e consciente.

 Segundo um representante do ISA, Nilto Tatto, sustentabilidade é a capacidade de todos os seres vivos coexistirem no planeta sem prejudicá-lo. Provavelmente tal definição foi o que mais nos fez refletir: afinal, isso é muito mais do que simplesmente “cuidar” da natureza, não?

 Agora, tendo clareza do que o tripé sociedade, economia e ambiente representa, podemos continuar nosso trabalho de forma mais objetiva, consciente e eficaz. E quem ganha com isso? Todos nós !

Para saber mais  sobre o trabalho do ISA acesse: http://www.socioambiental.org/